Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Empresa XTAGIARIOUS devolve o sorriso às crianças do Centro de Acolhimento El Betel David Mendes acusa generais de serem anticorpos da luta contra corrupção de João Lourenço Cazenga conta com nova esquadra de Polícia PGR no encalço de gestores públicos em Malanje

Proibição de namoro fez com que Larissa se jogasse da pedonal do Grafanil Bar


O fim do namoro de Maria Ngoma Kiesse ou Larissa “Larissa Gourgel”, exigido pela familia, pode ter precipitado a sua morte.

Por: Domingo Miguel

Maria Ngoma Kiesse ou Larissa como era carinhosamente chamada, de 18 anos de idade que, pôs fim a sua vida na noite da passada segunda-feira, 30, continua a criar as mais diversas reações no seio da família, amigos e sociedade luandense.

O último telefone que a jovem recebeu na noite de segunda-feira, 30, continua envolto de mistério, uma vez que, logo após a chamada, a jovem correu para a pedonal do Grafanil Bar e jogou-se para baixo.

O Na Mira do Crime esteve na casa do óbito, e ficou a saber que, a jovem mantinha um relacionamento amoroso com um jovem de nome Betinho, que saiu há pouco tempo da cadeia do Bentiaba, e que, por isso, não era, para a família, a pessoa ideial para jovem mulher.

Eva Conceição Kiesse, mãe de Larissa, conta que sempre que tentava desencorajar a filha a desistir do relacionamento, a menina dizia sempre “que um dia vou me jogar da ponte”, pelo que, a progenitora conhecendo a filha, sempre achou que fosse apenas palavras sem significado.

De acordo com Eva, ela e as filhas eram contra o relacionamento de Larissa por dois factores, primeiro, a diferença de idade, sendo que o acusado esta aproximadamente com 32 anos e segundo é que os dois eram irmãos por afinidade, dada a relação saudável entre os pais.

Nos últimos dias, conta a mãe, Larissa apresentava algumas cicatrizes,  feridas no pulso e mancha escura e marca de dentes no ombro que apontam para agressão supostamente protagonizado pelo namorado, que no entender dos familiares Larissa sofria pressão por parte do namorado.

Eva, questionada se já denunciou as autoridades em função das cicatrizes que eram um indicador de agressão, a mesma respondeu que não, porque a filha escondia e sempre que fosse flagrada, inventava desculpas, mas nunca culpabilizou directamente o Bentinho, “penso que era por medo”.

A equipa de reportagem do Jornal Na Mira tentou a todo custo manter o contacto com o jovem, mas sem sucesso.

 

Você pode partilhar este post!

Artigos Relacionados